Entrevista com Wander Veroni – Criador e Editor do blog Café Com Notícias

Wander Veroni Café com Notícias-3
Crédito da foto: arquivo pessoal de Wander

Comunicação e empreendedorismo: o jornalista Wander Veroni uniu essas duas palavras quando estava no no fim do curso de Jornalismo, buscando uma maneira de praticar o aprendizado da faculdade, já que estava sem estágio ou emprego. E após quase oito anos, podemos dizer que a solução encontrada por ele deu muito certo. Esse foi o gatilho para o nascimento do blog Café com Notícias, que hoje tem mais de três milhões de acessos e média de 85 mil visitas por mês desde a estreia em agosto de 2007. Com conteúdo totalmente autoral, que varia entre comunicação, TV, entretenimento, política, moda, cinema, cultura, tecnologia, web, redes sociais, projetos sociais, bastidores da imprensa e opinião crítica sobre os temas pautados pela mídia, o projeto recebe visitantes de várias partes do mundo. (Saiba mais clicando aqui).

Wander é Jornalista pós-graduado em Rádio e TV pela Uni-BH, pós-graduando em Comunicação e Saúde pela Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, palestrante, consultor e professor dos cursos de extensão de blogs e redes sociais e produção de conteúdo web no Núcleo Educacional de Design e Inteligência, ambos no Uni-BH. É também coordenador do núcleo digital da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Ele compartilhou conosco um pouco do aprendizado consequente das experiências e desafios do blog. Conversamos sobre empreendedorismo, mercado da comunicação, imprensa e jornalismo digital e independente. Confira!

Como surgiu a ideia do blog?

A ideia do blog surgiu quando acabei de me formar na faculdade de Jornalismo, do UniBH. Já tinha tido um contato anterior com Jornalismo Online, por ter sido monitor desta disciplina com a professora Lorena Tárcia. De uma hora para outra, me vi sem estágio e sem emprego. Tinha que praticar o jornalismo. A opção que encontrei foi criar o Café com Notícias. Em um primeiro momento, coloquei artigos e matérias que havia feito na faculdade. Com o tempo, passei a colocar posts mais factuais e percebi que a área de entretenimento poderia ser melhor explorada e passei a dedicar o projeto a cobertura de temas relacionados a variedades.

Após mais de sete anos, o blog se tornou referência, mas quando foi idealizado e criado, ainda em 2007, o projeto foi motivo de críticas? Você ouviu “conselhos” como “isso não compensa” ou “não vai dar certo”?

O Café com Notícias vai fazer oito anos no dia 20 de agosto. Passa um filme na minha cabeça. No começo, muitos amigos e colegas de profissão falavam para eu desistir do blog, que isso não ia levar a lugar algum. E o que aconteceu foi justamente o contrário: as melhores experiências profissionais que já me apareceram vieram por meio do blog. Ainda bem que fui persistente (risos).

Antes de lançar o blog, você tinha referências ou inspirações? Quais?

Minha principal referência no jornalismo praticado na blogosfera é a Rosana Hermann, autora do blog Querido Leitor . Sou fã do trabalho dela! É a blogueira referência que está com o mesmo projeto há 15 anos no ar de forma ininterrupta. O blog dela já foi hospedado no Blogger, no UOL e hoje em dia está no R7. A Rosana fala muito bem sobre variedades, principalmente sobre tendências da web. Também gosto de acompanhar os blogs “Socialista Morena”, “Blog do Kennedy Alencar”, “Buzzfeed”, “Notícias da TV”, “TechTudo”, “Papel Pop”, “Cartas para Pi” e o “Blog da Saúde do Min. da Saúde”.

Wander com uma das turmas do curso de extensão sobre blogs e redes sociais. Crédito da foto: Arquivo pessoa de Wander
Wander com uma das turmas do curso de extensão sobre blogs e redes sociais. Crédito da foto: Arquivo pessoal de Wander

Pelo fato do Café com  Notícias não ser a sua única atividade profissional, não deve ser nada fácil organizar o tempo e, ainda assim, manter a qualidade do blog. Como você concilia todas as atividades profissionais?

Como conciliar? Não sei. O que faço é ter muita força de vontade para não deixar que o blog Café com Notícias fique sem postagens novas por muito tempo. Mas tem semana que a quantidade de postagens cai e tem outras que consigo manter um ritmo interessante de até duas postagens por dia. Quando consigo, programo as postagens. Isso facilita muito. Seja no lugar que trabalho hoje, seja nos lugares que já trabalhei, a minha chefia sempre me incentivou a manter o blog. Faço o possível para conciliar tudo e trabalhar da melhor forma possível.

Como você seleciona / escolhe as pautas? Como é o seu processo de apuração?

Recebo mais de 300 releases por dia, além de e-mails de internautas do blog que querem sugerir ou colaborar com algum tema. Além disso, faço uma ronda nos sites e blogs que gosto de ler para ver quais os assuntos ganham destaque. Também monitoro os debates e memes nas redes sociais. Quando necessário, realizo entrevistas por telefone ou e-mail. Gosto também de cruzar informação com dados oficiais de pesquisa de centros brasileiros como o IBGE, DataSUS, UFMG, entre outros.

Nesses sete anos, quais pautas ou projetos do blog mais te marcaram ou você considera destaque?

Foram vários momentos. O show do Paul Mccartney foi um momento inesquecível! A produção me convidou para assistir e relatar o show do meu jeito com a maior liberdade do mundo. Ficar tão próximo de uma pessoa que faz parte da história da música mundial me emocionou em vários aspectos, principalmente por ser na minha cidade, no Mineirão. Foi mágico! Também gostei de ter feito a cobertura dos jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, dando uma ênfase para as questões de BH e de Minas Gerais. Foi muito marcante! Jornalisticamente, eu adoro cobrir eleições políticas. É um ótimo momento para debater questões relacionadas ao controle social e ao futuro do nosso país.

Uma das grandes virtudes da internet é que a produção de conteúdo se tornou democratizada, principalmente depois da ascensão da chamada Web 2.0, quando os blogs e mídias sociais se consolidaram. O Café Com Notícias já tem mais de sete anos de vida, é mantido por apenas um profissional e não possui a mesma estrutura dos grandes portais. O que você considera como diferencial do blog para ele se tornar opção para o leitor, mesmo com a presença on-line tão forte dos grandes grupos de comunicação?

É importante deixar claro que um blog não compete com um portal de notícias. São propostas informativas diferentes. O blog tem uma proposta mais intimista e descontraída. Diante disso, acredito que o Café com Notícias tem o seu espaço na internet por, justamente, oferecer uma informação e/ou opinião diferenciada ao internauta, principalmente na área de variedades. Faço o possível para destacar a área cultural de Belo Horizonte porque sei da falta de espaço desse assunto nos noticiários.

Você tem parcerias que ajudam na manutenção do blog? Se sim, fale sobre elas.

Tenho algumas parcerias que foram construídas ao longo dos anos como a da Giselle Carvalho, que me dá suporte na área de webmaster/webdesing; o William Castro, que criou um aplicativo para o blog na plataforma Android. Já tive também como parceiro o ilustrador Daniel Paiva e o escritor Tiago Pereira, que durante um ano me ajudou de forma voluntária com a seção “Café Literário”. Também tenho, atualmente, a jornalista Sílvia Amâncio, que escreve de forma voluntária sobre cinema, cultura e saúde.

Conte um pouco sobre o projeto do aplicativo mobile do Café Com Notícias

O projeto nasceu da conclusão do curso de T.I do internauta William Castro, que é de Rio Grande do Norte, em Natal. Ele perguntou se podia fazer um aplicativo do blog e eu lógico que aceitei. No momento, o William está passando por um problema com a loja da Google Play e o aplicativo não está mais no ar para baixar. Mas, quem baixou, viu que o aplicativo funciona que é uma beleza. Espero que o aplicativo volte a ser disponibilizado para novos downloads em breve.

Na sua avaliação, falta visão empreendedora aos profissionais de comunicação? Falta inovação?

Falta muita visão empreendedora, principalmente porque as faculdades ensinam o jornalista para trabalhar com carteira assinada ou como P.J. nas redações ou assessorias de imprensa, e não para ser um empreendedor, alguém capaz de criar o seu próprio negócio e prosperar com isso. Também sinto falta de startups criadas por jornalistas ou de coletivos de trabalho jornalístico, que possam criar revistas, jornais, blogs, portais de notícias, canais no YouTube ou no Soundcloud de forma independente e empreendedora.

O que você diria às pessoas que desejam empreender com projetos de conteúdo web?

Que estudem e pesquisem sobre a área que querem atuar. A área de social media está na moda agora, mas ela nada mais é do que um reflexo desse boom que estamos vivendo nos meios de comunicação na plataforma digital. Do ponto de vista informativo, quem não está na internet, não existe. Sempre vai haver possibilidade de novos negócios que nasceram ou se fortaleceram graças à internet. Outro detalhe importante: não desista dos seus sonhos e nunca duvide da força do pensamento!

Palestra no Workshop de Redes Sociais, evento promovido pelo Governo de Minas. Goto: Instagram Rádio Inconfidentes / Reprodução
Palestra no Workshop de Redes Sociais, evento promovido pelo Governo de Minas. Foto: Instagram Rádio Inconfidentes / Reprodução

O Wander se considera mais empreendedor, jornalista, professor ou um pouco de cada uma dessas atividades?

Me considero inquieto e curioso. Estou sempre querendo aprender algo ou me desafiando a pensar em uma solução para as coisas relacionadas à comunicação, digital que é uma área em pleno processo de construção. Gostaria de empreender mais de forma coletiva e ajudando as pessoas que querem propor um novo caminho profissional, mas acho que faço isso, de certa forma, sendo professor. E, por incrível que pareça, tanto o empreendedor, quanto o professor, são essenciais para que o jornalista mantenha a chama viva pela comunicação, mesmo diante desta crise existencial (e de modelo de negócio) que a imprensa brasileira vive.

Pegando o gancho dessa crise que você mencionou, o fortalecimento da blogosfera, na sua opinião, é uma tendência? Os grandes grupos de comunicação estão perdendo força e a informação está sendo descentralizada?

Acredito que estamos passando por um processo de descentralização da informação e da produção de conteúdo que a mídia tradicional ainda tem dificuldade de se adequar. Além disso, há um debate muito importante sobre a Democratização da Mídia que nem sempre ganha o espaço devido nos meios de comunicação. A mídia independente é bastante unida e engajada… blogs, sites e perfis independentes nas redes sociais se ajudam muito no processo de difusão da informação. Além disso, parte do público já se deu conta que determinadas notícias estão nos blogs e nas redes sociais e que dificilmente serão vistas na mídia tradicional por questões políticas, economicas e, por incrível que pareça, por falta de cultura. São raros os jornalistas que sabem (e estão dispostos) a cobrir questões ligadas à cidadania, à educação inclusiva, à saúde pública ou aos mais diversos projetos sociais. A overdose da cobertura policial (e de denuncismo) deixou o jornalismo com uma qualidade muito ruim. Poucos profissionais querem se aperfeiçoar e se dedicar na cobertura temática.

Para você, um dos pontos fortes dos blogs é a independência e liberdade?

Com certeza. Não tem nada mais libertador para um jornalista do que poder escrever sobre o que quiser e da maneira que quiser, sem amarras ou frescuras. Além disso, traz uma proximidade com o público super bacana.

E como você projeta o Café com Notícias daqui a 10 anos?

Continuar um blog ativo. E espero poder contar com uma equipe de colaboradores e, de preferência, que eu possa e consiga viver exclusivamente da renda gerada pelos trabalhos do blog. Também quero lançar livros e alguns produtos derivados da minha atividade como blogueiro e jornalista. Mas, o mais importante, que o público siga prestigiando o espaço. O Café com Notícias vai fazer 8 anos em agosto. Passa muito rápido. Imagina quando completar 18 anos? Quase duas décadas de jornalismo independente. Espero que consiga chegar nesta marca sem perder a qualidade.

Deseja perguntar alguma coisa para o Wander ou dar a sua opinião sobre a entrevista? Escreva nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
20 ⁄ 2 =